Missões

Seu coração é missionário?

“E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.”
(Rm 10.15)

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ ORAR E AJUDAR 
Recomendamos, inicialmente, dois missionários para que possamos orar, escrever-lhes, ajudar financeiramente (para aqueles que desejarem), enfim, fazer algo para que eles não interrompam o árduo trabalho que fazem.

NO PAQUISTÃO: REVIVAL MINISTRY
Um deles, na realidade, é missionário em sua própria terra. É o Pastor Samuel Samih, paquistanês, que lidera uma pequena igreja evangélica naquele país e sofre diariamente para executar o IDE do Senhor Jesus. Sofre porque, além da falta de recursos, o seu país é um dos maiores países mulçumanos do mundo. Sua história é muito forte. Ele se converteu praticamente sozinho em 1997, foi auxiliado por um grupo de irmãos da Malásia (outro pais de maioria mulçumana) e trabalha sozinho no Paquistão desde então. Recebe apoios externos, mas nenhum periódico ou certo e isso é um grande obstáculo para seu ministério, pois não tem de onde tirar recursos para a obra.
Com isso, já não se necessita dizer grandes coisas. Para aqueles que sabem, o islã é um dos maiores perseguidores de cristãos e no Paquistão, embora o governo tente preconizar liberdade religiosa, não é isso que ocorre e as coisas não são diferentes. Veja a seguir algumas fotos do referido pastor e parte de seu trabalho naquele país. Se quiseres escrever para o Pastor Samuel, por favor, faça isso hoje mesmo: grm_pak@yahoo.com (o e-mail deve ser escrito em Inglês).
Dados sobre o Paquistão
O Paquistão, oficialmente República Islâmica do Paquistão, é um país do Sul da Ásia. Localizado na região onde convergem o Sul da Ásia, a Ásia Central e o Oriente Médio. O país limita com o Irã e o Afeganistão a oeste, a China a nordeste e a Índia a leste. É banhado pelo Mar Arábico ao sul, com um litoral de 1.046 km de extensão.
O Paquistão é o sexto país do mundo em população e possui uma das maiores populações muçulmanas do planeta. Seu território pertenceu à Índia Britânica e tem uma longa história de assentamento e civilização, inclusive a civilização do Vale do Indo. A região já foi invadida por gregos, persas, árabes, afegãos, turcos e mongóis. Foi incorporado à Índia Britânica no século XIX. Desde a sua independência, o país tem se caracterizado por períodos de crescimento militar e econômico intercalados com instabilidade política.
O país foi oficialmente fundado como o Domínio do Paquistão em 1947, sob a chefia de Muhammad Ali Jinnah e a Liga Muçulmana, e foi renomeado República Islâmica do Paquistão em 1956. O Paquistão foi membro fundador da Organização da Conferência Islâmica, da Associação Sul-Asiática para a Cooperação Regional, do D8 e da Organização para Cooperação Econômica. Também é membro das Nações Unidas, da Organização Mundial do Comércio, do G33 e do Grupo dos 77. 96% da população é mulçumana. Os demais 4% são divididos entre cristãos, hindus,  sikhs, budistas e outros. O Paquistão é uma potência nuclear, com um arsenal de armas atômicas. Sua capital é Islamabad e sua maior cidade, Karachi

NO TIMOR LESTE - IGREJA EVANGÉLICA VISÃO CRISTÃ EM TIMOR LESTE
Um outro missionário que recomendamos, e este é missionário no sentido real da palavra, é o Pastor Nilton, que trabalhou no Timor Leste desde 2003, tendo retornado ao Brasil no final de 2015. Atualmente está em preparação em Singapura com a missão de retornar ao Timor Leste e receber um encargo maior ainda. 
Escreva para ele. Isso com certeza vai dar-lhe uma alegria e ajudá-lo nas lutas diárias ao se lembrar de seu apoio. 

Pastor Nilton, sua esposa Missionária Raquel e seu filho Asafe. Uma família que de fato vive em prol do Reino de Deus.
Dados sobre o Timor Leste
Timor-Leste (oficialmente chamado de República Democrática de Timor-Leste) é um dos países mais jovens do mundo, e ocupa a parte oriental da ilha de Timor, no Sudeste Asiático, além do exclave de Oecusse, na costa norte da parte ocidental de Timor, da ilha de Ataúro, a norte, e do ilhéu de Jaco, ao largo da ponta leste da ilha. As únicas fronteiras terrestres que o país tem ligam-no à Indonésia, a oeste da porção principal do território, e a leste, sul e oeste de Oecusse, mas tem também fronteira marítima com a Austrália, no Mar de Timor, a sul. Com 14 874 quilómetros quadrados de extensão territorial, Timor-Leste tem superfície equivalente às áreas dos distritos portugueses de Beja e Faro somadas, o que ainda é consideravelmente menor que o menor dos estados brasileiros, Sergipe.
Sua capital é Díli, situada na costa norte.
Conhecido no passado como Timor Português, foi uma colónia portuguesa até 1975, altura em que se tornou independente, tendo sido invadido pela Indonésia três dias depois. Permaneceu considerado oficialmente pelas Nações Unidas como território português por descolonizar até 1999. Foi, porém, considerado pela Indonésia como a sua 27.ª província com o nome de "Timor Timur". Em 30 de agosto de 1999, cerca de 80% do povo timorense optou pela independência em referendo organizado pela Organização das Nações Unidas (ONU).
A língua mais falada em Timor-Leste era o indonésio no tempo da ocupação indonésia, sendo hoje o tétum (mais falado na capital). O tétum e o português formam as duas línguas oficiais do país, enquanto o indonésio e a língua inglesa são consideradas línguas de trabalho pela atual constituição de Timor-Leste. Devido à recente ocupação indonésia, grande parte da população compreende a língua indonésia, mas só uma minoria o português.
Geograficamente, o país enquadra-se no chamado sudeste asiático, enquanto do ponto de vista biológico aproxima-se mais das ilhas vizinhas da Melanésia, o que o colocaria na Oceania e, por conseguinte, faria dele uma nação transcontinental. As religiões praticadas no país são catolicismo (95%), islamismo (2%), protestantismo (3%), inserido em católicos aqueles que ainda mantém práticas de religiões animistas.


EM BANGLADESH: ASSOCIAÇÃO DE IGREJAS EVANGÉLICAS
O Pr James Karmoker é o Secretário da Comunidade Nacional de Cristãos  em Bangladesh. Ele atua em treinamentos e viagens quase que todo o tempo para apoiar e socorrer as igrejas evangélicas naquele país. São 1,5 milhões de evangélicos em um país de 160 milhões de habitantes.
 Criado em um orfanato cristão, converteu-se jovem ao Senhor Jesus e hoje dedica sua vida em prol do Reino de Deus naquela país.. Com isso, já não se necessita dizer grandes coisas. Para aqueles que sabem, o islã é um dos maiores perseguidores de cristãos e em Bangladesh, embora o governo tente preconizar liberdade religiosa, não é isso que ocorre e as coisas não são diferentes. Eles precisam fazer os cultos com portas abaixadas. Se quiseres escrever para o Pastor James, diga que leste sobre o ministério dele em nosso blog, que ele conhece a mantém contato. Por favor, faça isso hoje mesmo: karmoker@gmail. com (seu e-mail deve ser escrito em Inglês).

Dados sobre Bangladesh

O Bangladesh (etimologicamente, A Nação Bengali; também conhecido pela forma portuguesa Bangladeche ou Bangladexe) é um país asiático rodeado quase por inteiro pela Índia, exceto a sudeste, onde tem uma pequena fronteira terrestre com Myanmar, e a sul, onde tem litoral no Golfo de Bengala. O país está listado entre as economias "Próximos Onze". A capital é Daca.
Bangladesh conquistou sua independência do Paquistão em 1971, depois da guerra civil de nove meses entre o Paquistão Ocidental e o Paquistão Oriental. De 1947 a 1971, a região que hoje é Bangladesh foi o Paquistão Oriental. Mais da metade da população do Paquistão morava lá.
O nordeste da Índia tem fronteiras com Bangladesh em três lados. Muitos dos aspectos físicos e culturais de Bangladesh são partilhados com Bengala Ocidental, um estado da Índia vizinho a Bangladesh. Na verdade, Bangladesh e Bengala Ocidental formam uma região da Ásia conhecida como Bengala. Bangladesh é, às vezes, chamado de Bengala Oriental. O nome Bangladesh significa "nação de Bengala".
Bangladesh é o oitavo país do mundo em número de habitantes, com cerca de 160 milhões de habitantes em 2012. O rápido crescimento populacional do país trouxe um sério problema de superpopulação. Bangladesh é um pouco maior do que o estado brasileiro do Amapá, mas o número de habitantes é, aproximadamente, 220 vezes maior. Os habitantes de Bangladesh são chamados bengaleses ou bengalis.
Há muito tempo a região é caracterizada por uma grande pobreza. A maioria dos habitantes é composta de agricultores pobres, que se esforçam para tirar seu sustento de pequenos lotes de terra. Muitos dos trabalhadores das cidades ganham apenas alguns centavos por dia. Cerca de 52,1% da população com mais de 15 anos não sabem ler nem escrever. Cerca de 85% dos habitantes são muçulmanos, sendo a quase totalidade dos restantes compostas de hindus.
A percentagem da população urbana de Bangladesh é inferior à da maioria das nações do sul da Ásia. Somente cerca de 18% da população vivem nas cidades. Apesar disso, Daca, a capital a maior cidade do país, é considerada uma das maiores cidades do mundo (em termos de população), tendo mais de sete milhões de habitantes residindo dentro de seus limites e mais de cinco milhões nas cidades e povoados periféricos.
Existe vida vegetal em abundância no clima quente e úmido de Bangladesh. A maior parte do país é composta por planícies baixas, fertilizadas pelas enchentes dos rios e cursos d'água que as cruzam. Os rios, durante a época das cheias, depositam solo fértil ao longo de suas margens. Mas muitas dessas enchentes também causam grande destruição nos vilarejos rurais.
A região atualmente conhecida por Bangladesh foi governada, em diversos períodos da sua história, por hindus, muçulmanos e budistas. Tornou-se parte do Império Britânico, quando o Reino Unido, em 1858, assumiu o controle da Índia. Os sangrentos conflitos entre hindus e muçulmanos provocaram a divisão da Índia em duas nações — isso em 1947, quando a Índia se tornou independente. O Paquistão — formado pelo Paquistão Ocidental e Paquistão Oriental — foi criado a partir das regiões nordeste e noroeste da Índia. A maioria da população nas duas áreas é composta de muçulmanos.
Muitas diferenças, tanto culturais como econômicas, dividiam os habitantes do Paquistão ocidental e oriental. Em 1971, essas diferenças resultaram numa guerra civil e no estabelecimento do Paquistão oriental como uma nação independente — Bangladesh.


BANDEIRAS DOS PAÍSES:

 Paquistão
 Timor Leste








































































































































Bangladesh

Comments system