terça-feira, 14 de junho de 2016

Poesia do TEMPO



Poesia do TEMPO

Deus pede estrita conta do meu tempo
E  eu vou, do meu tempo, dar-Lhe conta
Mas,  como dar sem tempo tanta conta?
Eu que gastei, sem conta, tanto tempo?
Para dar minha conta feita a tempo
O tempo foi me dado e não fiz conta
Ó, vós que tendes tempo sem ter conta
Não gasteis o vosso tempo em passatempo
Pois, quando chegar o dia de prestar conta,
Chorarão como eu o não ter tempo.

Esta mensagem pode ser usada, impressa, republicada, mas qualquer que seja o uso deve-se citar a fonte.
Conheça nossa página no Facebook e curta RESTAURAÇÃO DA PALAVRA
           


Comments system